Dr Eduardo Nassar Indica leitura

Precisão do ensaio de alfa-fetoproteína sérica na triagem pré-natal para defeitos do tubo neural e síndrome de Down.

Para avaliar o impacto das atuais séricos de alfa-fetoproteína (AFP) ensaios sobre o desempenho do rastreio para abrir defeitos do tubo neural e síndrome de Down.
Amostras de soro materno, coletadas entre as semanas 15 e 22 das 470 gestações únicas, sem defeitos de tubo neural ou síndrome de Down, foram testadas para a AFP utilizando um imunoensaio automatizado fluorimétrico. As amostras foram ensaiadas quanto à AFP utilizando um radioimunoensaio em casa com uma precisão inferior dez anos antes. A variância de AFP usando o radioimunoensaio foi comparada com a usando o ensaio fluorométrico corrente e, em seguida, utilizada para estimar as taxas de detecção e as taxas de falsos positivos para defeitos do tubo neural e rastreio síndroma de Down.
Atuais ensaios séricos de AFP são mais precisos. Usando um nível de corte de 2,5 múltiplos da mediana, a taxa de falsos positivos na triagem para anencefalia e espinha bífida aberta foi de 0,8% com o novo ensaio em comparação com 2% utilizando o ensaio anterior. Quando o rastreio para síndroma de Down, a taxa de falsos positivos é reduzida em cerca de um ponto percentual sem perda de detecção.
Melhorias na precisão da medição materna AFP sérica levaram a pequenas melhorias, mas útil para rastreio de abertos defeitos do tubo neural e síndrome de Down. As estimativas publicadas de desempenho na seleção usando tais ensaios modernos podem ser revistas em conformidade.

Referência:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11002446

 

 

Facebook Dr Eduardo Nassar


 

Twitter Dr Eduardo Nassar